Páginas

domingo, 19 de setembro de 2010

Brasilia - parte 1

Obaaaaaaa, o teclado aqui tem cedilhas e acentos, bom demais!!!!

Estar em Brasilia é algo que amo, sinto toda energia positiva da minha cidade, juntamente com o clima extremamente seco, mas isso é básico aqui. Cheguei na quinta-feira dia 16 de setembro, e ja comecei a ligar para os amigos, a falar com a familia, a marcar saidas e bate-papo..... como sempre digo, amo tudo isso!








A minha viagem para cá foi muito engraçada, para não dizer quase que trágica, fico com enjoo só de pensar. Vou relatar rapidamente:

Sai de Jacksonville dia 15 de setembro, à 1:50 da tarde, cheguei em Atlanta às 2:15, e fiquei esperando meu voo para o Brasil que iria sair às 5:50 da tarde, nada tão demorado no aeroporto, pude andar um pouco e comprar coisinhas.
Já dentro do aviao da Delta, sentei ao lado da janela, na fileira de saída de emergência (ok, viagem em classe econômica) que podemos ficar com as pernas mais esticadas. Estava sozinha e pensando que algumas cadeiras poderiam ir vazias, mas nesse exato momento apareceu uma familia de americanos, pai/mãe e 03 filhos, dos quais 02 eram casados, num total de 5 pessoas. Eu penso que a senhora deveria estar doente, ela estava com um aspecto cansado e com a carinha bem tristinha, me pediu para que os filhos pudessem viajar na minha filiera - 03 assentos - porque era a primeira viagem internacional dela e os filhos iriam estar juntos, era um desejo dela. Depois de ouvir a historia, falei que eu tinha medo de avião (nunca tive mede de avião, sempre viajei, mas de uns anos para cá venho sentindo isso) e que só viajo na janela, então, se ela arrumasse um assento na janela eu trocaria sem problemas. A aeromoça procurou um assento na janela e não conseguiu nada, o voo estava lotado. E a senhora começou a chorar para o marido, e meu coração estava despedaçaado, mas não poderia ajudar muito, ou eu infartava no corredor, ou ficava na janela com pena da senhora, optei por ficar na janela. Pela primeira vez na minha vida, vi de perto uma aeromoça americana educada e sensível, ela falava um pouco de espanhol e estava preocupada com a senhora que queria os filhos juntos. Nesse momento pensei em ataque terrorista, será que um dos filhos não poderia viajar ao lado no corredor, tinha que viajar na fileira?

Vi que a aeromoça saiu em direção a cabine do comandante e ficou conversando com outros comissarios de bordo, uns 10 minutos depois ela retorna e me chama, fiquei assustada, pensei que iria ser expulsa do avião porque nao quis ceder meu lugar. E veio a notícia boa, a aeromoça me fala o seguinte: Sr. Rita, o voo esta lotado, mas tenho um assento na PRIMEIRA CLASSE, ele não é na janela, mas é a única solução que temos no momento e que poderia ser viável. Pensei, viável ou não, o que é trocar um assento na janela na classe econômica, por um assento na PRIMEIRA CLASSE NO CORREDOR. Na hora aceitei a troca e fui para a primeira classe "saltitante", lógico, só viajei de primeira classe uma vez, mas isso é outra história.
Sentei na cadeira, me senti super confortavel e nem quis saber de janela, ao meu lado estava um senhor, idoso, bem simpático, olhos azuis, americano, e parecia que tudo ia correr bem até Manaus.
Uns 20 minutos que o aviao já tinha decolado, senti um forte cheiro, aquele cheiro que você sente que seu estomago vai sair pela boca e segura. Olhei meus pés, para ver se tinha pisado em algum rato morto, olhei para o lado e nada. Pensei, alguém deve ter soltado uma flatulência de esgoto, mas vai passar; coloquei a mão no rosto e continuei a viagem. Mal eu tirei a mâo do rosto, veio a segunda leva de flatulências, coisa feia mesmo, e ouvi um passageiro que estava atras do senhor falar: %$#@@&¨. E olhei para trás para que ele tivesse a certeza de que não era eu. E ele apontou para o senhor! E começou a sequência de flatulências e eu começei a fazer vômito, num determinado momento, eu levantei e fui ao banheiro, parecia que estava dentro de um esgoto.... lavei o rosto e pensei, caramba, viajar de primeira classe com um "peidão" não seria nada fácil. Depois de ficar com raiva no banheiro, resolvi sair e perguntar a aeromoçca se tinha possibilidade de trocar de lugar, poderia ser na classe economica, e ela respondeu educadamente: Senhora, o vôo esta lotado! desisti e voltei para meu assento. Olhei para o lado e o senhor estava dormindo igual a uma criança, tranquilo, e com o bumbum virado para meu lado, pensei, não será nada fácil. Uns 10 minutos depois que estava sentada, ouvi um barulho que parecia ser uma explosão, e era, flatuências sendo jogadas ao vendo, sem dó nem piedade, algo que nunca tinha visto antes, e o senhor lá, dormindo igual a um anjo, com a carinha melhor do mundo. Nesse momento, peguei um creme de mão que estava na minha bolsa, passei no cobertor e fiquei com ele no nariz, essa seria a minha mascara de oxigênio, com um cheiro de rosas.

Momento jantar, pensei que não saberia como lidar com uma comida que ao redor dela tinha cheiro de gambá morto, e aí começou minha dúvida e meu desespero. No momento que anunciou o jantar, o senhor levantou, fiquei imaginando que ele deveria ter um sistema que avisava o momento da comida. O senhor se levantou, e o passageiro que estava atras começou a resmungar, não me manifestei porque não queria começcar uma briga, mas estava desorientada, sem saber o que fazer.

O jantar foi servido, primeiro uma sopa fria de tomate, confesso que não sou muito fã, mas tentei e achei o sabor interessante, mas continuo não gostando, frango grelhado com molho de alcaparras ao vinho branco, legumes flambados ou filé de salmão ao molho não me lembro o nome, com batatas ao creme sweet and sour. Foi servido champagne, sucos, vinhos e tudo que tinhamos direito, e eu ali, querendo ser educada com o senhor, mas meu nariz estava machucado. Num determinado momento, ele me perguntou o que eu estava bebendo, achou a bebida bonita na minha taça, quase falei que era um antídoto para flatulências, mas disse que era um vinho especial que ela tinha me indicado - e olha que não sou muito de gostar de vinho, alias, acho que não tenho paladar nenhum para vinho.

Acabei o jantar, comida leve, depois veio a sobremesa, pense em sobremesas bonitas e leves, logico que comi, mas depois comecei a reclamar dentro de mim, ops, não pensem que é por causa das calorias, essas eu já desisti de controlar, mas pensei no jantar, pensei na sobremesa e nas bebidas e sabia que se antes as flatulências estavam insuportáveis, depois desse belo jantar, seria algo de outro mundo, e acreditava que iria rolar uma briga entre os passageiros.

Estavam todos satisfeitos, todos bem servidos, notei que meu vizinho e senhor flatelento estava procurando o travesseiro, notei que ele estava se acomodando no assento, procurando uma posição confortável.... fiquei em pânico, como seria o final da viagem, levei o livro da Laura Henriques para ler, A Bonitona Encalhada, mas com o andar da carruagem, acho que a leitura teria que esperar um pouco. Procurei logo o meu creme com perfume de flores, procurei meu cobertor e meu travesseiro, tratei de passar em todos os locais.... Sem mentira nenhuma, apenas um pequeno exagero que é peculiar, 25 minutos depois ele já estava dormindo, e eu pensava, porque ele nao pode virar o rosto para mim, tinha que dormir com o rosto virado para a janela e logicamente o bumbum estaria livre para meu lado.... que situação constrangedora!!!

Não sabia se perguntava a aeromoça alguma coisa, ou pedia para ela falar com o senhor, estava sem saber o que fazer.... mas começaram as bombas de gás esgoto com gambá e rato morto, gente, era algo que não dava para suportar. O passageiro que estava atras continuava %$#@$%$# e chamou a aeromoça, perguntou se ela poderia falar com o senhor da frente para ele se cuidar, falou tão alto que acho que até o comandante na cabine dele escutou, mas o senhor do meu lado NÃO. E foram 8 horas de sofrimento, ansias de vômito, andanças pelo avião, e o senhor dormindo, num sono bom, num sono dos deuses....

Quando o comandante anunciou que o avião iria pousar dentro de 15 minutos, ele se levantou, como num passe de mágica, sorriu para mim, e eu de cara fechada, falou que a viagem foi tranquila - logicamente para ele. Quando estavamos descendo do avião, o passageiro que estava sentado atrás falou assim: na próxima viagem do senhor lembre-se de se cuidar, antes que alguém lhe jogue pela janela.... e o senhor olhou para ele, com uma carinha de quem não estava entendendo nada de nada, e saiu, feliz com sua malinha.
Chegando na imigração, fizemos alfandega, e estava perto dele, não na mesma direção, mas perto, e percebi quando pegamos as malas, que tinha uma mulher esperando por ele, e se abraçaram por longos minutos, ela estava com os olhos cheios de lágrimas, e ele também, pelo grau de intimidade e de amor, acho que era a filha dele, que estava com um carrinho de mão, onde ele sentou, com as perninhas bambas, ela acariciando o cabelo branquinho dele, num sorriso que me fez esquecer o meu sofrimento de 8 horas, pois estava certa de que alguns momentos, algumas pessoas em nossas vidas, são tão maravilhosas, que alguns "puns" fedidos durante 8 horas, não são nada comparados a felicidade e o prazer de estarem juntos.

Abaixo a foto da secura do Planalto Central.... conto mais historias depois!!!
beijossss


Secura do Planalto Central

3 comentários:

Viviane Logrado disse...

Oi Amada!!!
Rita do céu... acho que nessa vida eu suporto tudo menos mau-hálito, cheiro de pum, arroto e chulé!!!
Qualquer cheio desses e eu já quero morrer!!! Ai ai ai
Posso imaginar a sua aflição... mas Graças a Deus vc fez uma viagem relativamente boa...
Confesso que ri mt da situação vc contando do cobertor que colocou no nariz com o creme de rosas!!!
kkkkkkkkkkkkk
Vc andando pelo corredor com um ar pálido...
Afff, ngm merece ficar, literalmente, cheirando peido!
Mas essa é uma história que virará, se já não virou, piada para vc e para quem a ouvir!
Estou mt feliz por vc... pelo menos matou saudd do Planalto Central!
Bjão amiga!!!!

Vilma disse...

Rita, estou morrendo de rir aqui, sozinha, lenda essa sua história tragicômoca!!! kkkkkkkk Que situação!!!
Sua viagem na 1ª classe ficou muito mais cara que o $$$ que se paga por ela, cruz credo, nem gosto de pensar!
Só vc mesmo p/ fazer disso uma piada. rsrsrs
Mas o importante é que vc está aproveitando sua terrinha querida, recebendo tanto carinho e recarregando as energias.
Saudades!!
Beijão

Luthi. disse...

kkkkkk ai menina, vc é demais...rsrsrsrsrs
Aproveite muito seu passeio, afinal a viagem saiu mais cara do que pensavas ...kkkkk ninguém merece e muito menos você!!!!
Grande beijo. Saudades....

Posts Relacionados

Related Posts with Thumbnails